head4.jpg
 

Janeiro 2013

 

 1 - O acervo de Carlos Drummond de Andrade, "formado por biblioteca de cerca de 4.000 livros, catalogados parcialmente no site do ims; e por arquivo composto por 3.550 documentos, dentre os quais fichas bibliográficas elaboradas por Drummond, datiloscritos de obras de terceiros, correspondência, documentos pessoais, recortes de jornais e de revistas, além de algumas fotografias", já está disponível para consulta no Instituto Moreira Salles, no Rio de Janeiro. Disponível em: http://ims.uol.com.br/Carlos_Drummond_de_Andrade/D1105. Acesso em 17 jan. 2013.

 

2 - O Projeto Memória - "Drummond, testemunho da experiência humana", que retrata a vida e a obra do escritor, estará no Centro Cultural Banco do Brasil - CCBB, em Brasília, até o dia 10 de fevereiro de 2013. Disponível em: http://www.bb.com.br/portalbb/page501,128,10173,0,0,1,1.bb?&codigoMenu=9913&codigoMenu=9909. Acesso em 17 jan. 2013.

 

3- A AMIGA VOLTOU

                                                       17.1.1981

Muitas promessas não foram cumpridas nos últimos doze meses.

Eu mesmo, ativo cobrador de promessas,

terei prometido e faltado

no mínimo sete vezes por semana

e, o que é pior,

ostentando indefectível cara-de-pau.

Homens enganaram homens e mulheres

com voz de flauta doce:

“Vou fazer isso, vou fazer aquilo,

vocês têm de confiar neste compatriota...”

Fez? Pois sim, seu Serafim.

 

Mas essa amiga prometeu e cumpriu:

Tou de volta em janeiro.”

E . No Parque do Flamengo;

como anunciara. E um pouco

por toda parte: Iúca

e sua branca floração em cachos.

 

Temia que não viesses mais,

Iúca. As coisas andam pretas,

e tuas alvas panículas contrastantes

com o negro sobrecenho

deste Rio assustado

poderiam parecer provocação.

Mas sorriste do medo.

Chegaste, amiga nossa,

pontual,

lirial,

janeiramente abril.

 

É consolo, conforto

saber que não mudaste

e restauras em nós a matutina esperança

de ter um dia bonito à nossa frente.

Pronto, ganhei o dia,

só de te ver e de beijar com os olhos

tua florada em forma de turíbulo

ou lâmpada suspensa.

 

Assim fazem as plantas,

honradas, tranquilas companheiras

neste viver em grupo, conturbado.

Não seguem portarias

nem do Banco Central nem do Conselho

Interministerial de Preços Altos.

Têm seu próprio destino prefixado

(não correção incerta monetária),

e a ele são fiéis. Fiel Iúca,

a trabalhar de graça para os pobres

olhos da população carente de feijão,

de sossego, de carne e de carinho.

Não tens partido, entre os partidos

tão repartidos que hoje se emaranham

na tentativa de comprar o passe

de partidários outros e volúveis.

Iúca, tua glória

não resulta de novelas

nem de estádios, palácios, ministérios

de trombeteada fama nacional.

És apenas tu mesma, arbusto digno

que promete florir e cumpre

na hora certa o verde prometido.

 

Muito obrigado, amiga.

Eu precisava bem deste reencontro.

Nós precisávamos bem deste reencontro.

A folha de rija ponta espiniforme

não molesta ninguém: prepara a flor

inumerável, ofertada

ao dia brasileiro angustiado.

 

ANDRADE, Carlos Drummond de. Amar se aprende amando, in Poesia Completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2002. p. 1353-1355.

Voltar